Quais são as etapas de um processo de Canonização?

A notícia da beatificação de Carlo Acutis foi recebida com enorme felicidade pelos fiéis católicos de todo o mundo. Em qualquer época, mas ainda mais especialmente nos dias de hoje, é impressionante que um jovem, ainda em sua adolescência, tenha adquirido tamanha intimidade com Deus, sendo testemunho vivo de uma existência pautada no caminho de Cristo quando todo o mundo arrasta para a direção oposta. Todavia, muitas pessoas têm dúvidas acerca de como se dá a declaração de que uma pessoa é santa. O que é necessário para tanto? Qual a diferença de um “Servo de Deus” para um “Beato”? Como a Igreja investiga a suposta santidade de alguém? A resposta é: através do processo de CANONIZAÇÃO. Vejamos, em seguida, como ele se dá.

QUAIS SÃO AS ETAPAS EM UM PROCESSO ORDINÁRIO DE CANONIZAÇÃO?

São quatro as etapas:

1. SERVO DE DEUS

O Bispo Diocesano e o Postulador da Causa pedem para iniciar o Processo de Canonização. Apresentam à Santa Sé um relatório sobre a vida e as virtudes da pessoa. A Santa Sé, por meio da Congregação para a Causa dos Santos examina o relatório e dita o Decreto declarando que nada impede iniciar a Causa (Decreto “Nihil obstat”). Este Decreto é a resposta oficial da Santa Sé às autoridades diocesanas que pediram para iniciar o Processo Canônico. Obtido o Decreto de “Nihil obstat”, o Bispo Diocesano dita o Decreto de Introdução da Causa, agora, do Servo de Deus.

2. VENERÁVEL

Esta parte do caminho compreende cinco etapas:

a) A primeira etapa é o Processo sobre a vida e as virtudes do Servo de Deus. Um Tribunal, designado pelo Bispo, recebe os testemunhos das pessoas que conheceram o Servo de Deus. Esse Tribunal diocesano não dá sentença alguma; está reservada à Congregação para a Causa do Santos.

b) A segunda etapa é o Processo dos escritos. Uma comissão de censores, designados também pelo Bispo, analisa a doutrina dos escritos do Servo de Deus.

c) A terceira etapa se inicia quando estão terminados os processos anteriores. O Relator da Causa, nomeado pela Congregação para a Causa dos Santos, elabora um documento denominado “Positio”. Neste documento, se incluem, também os testemunhos, os principais aspectos da vida, virtudes e escritos do Servo de Deus.

d) A quarta etapa é a Discussão da “Positio”. Este documento, uma vez impresso, é discutido por uma Comissão de Teólogos consultores nomeados pela Congregação para a Causa dos Santos. Depois, em sessão solene de Cardeais e Bispos, a Congregação para a Causa dos Santos, por sua vez, discute o parecer da Comissão de Teólogos.

e) A quinta parte é o Decreto do Santo Padre. Se a Congregação para a Causa dos Santos aprova a “Positio”, o Santo Padre proclama o Decreto de Heroicidade de Virtudes. O que era Servo de Deus passa a ser considerado Venerável.

3. BEATO OU BEM-AVENTURADO

a) Neste estágio, o primeiro passo é mostrar o “Venerável” à comunidade como modelo de vida e intercessor diante de Deus. Para que isto possa acontecer, o Postulador da Causa deve provar diante da Congregação para a Causa dos Santos: – A fama de santidade do Venerável. Por isso elabora uma lista com as graças e favores pedidos a Deus pelos fiéis por intermédio do Venerável. – A realização de um milagre atribuído à intercessão do Venerável. O processo de examinar este “presumido” milagre se realiza na Diocese onde aconteceu o caso e onde vivem as testemunhas. Geralmente o Postulador da Causa apresenta um caso relacionado com a medicina. O Processo de examinar o “presumido” milagre deve abarcar dois aspectos: a) a presença de um feito (a cura) que os cientistas (os médicos) deverão atestar como um feito que vai mais além da ciência e b) a intercessão do Venerável na realização do feito que apontaram as testemunhas do caso.

b) Durante a segunda etapa a Congregação para a Causa dos Santos examina o milagre apresentado. Dois médicos peritos, designados pela Congregação, examinam se as condições do caso merecem um estudo detalhado. Seu parecer é discutido pela Consulta Médica da Congregação da Causa dos Santos (cinco médicos peritos). O fato extraordinário apresentado pela Consulta Médica é discutido pelo Congresso de Teólogos da Congregação para a Causa dos Santos. Oito teólogos estudam o nexo entre o fato indicado pela Consulta Médica e a intercessão atribuída ao Servo de Deus. Todos os antecedentes e os juízos da Consulta Médica e do Congresso de Teólogos são estudados e comunicados por um Cardeal (Cardeal “Orador”) aos demais integrantes da Congregação, reunidos em sessão. Então, em sessão solene dos Cardeais e Bispos da Congregação para a Causa dos Santos dão seu veredicto final sobre o “milagre”. Se o veredicto é positivo o Prefeito da Congregação ordena a preparação do Decreto correspondente para ser submetido à aprovação do Santo Padre.

c) Na terceira etapa com os antecedentes anteriores, o Santo Padre aprova o Decreto de Beatificação.

d) Na quarta etapa o Santo Padre determina a data da cerimônia litúrgica.

e) Na quinta etapa é a Cerimônia de Beatificação.

No caso de Carlo, o milagre reconhecido pela Santa Sé que ensejou sua beatificação foi o operado em um menino brasileiro. Sim, um jovem compatriota nosso!

O menino Matheus, de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, sofria de uma rara doença congênita chamada “pâncreas anular”. O distúrbio fazia com que praticamente todo alimento que ele ingerisse fosse expelido pelo corpo na forma de vômito. Aos quatro anos de idade, em uma bela demonstração da sinceridade de fé de uma criança, pediu espontaneamente, em frente a uma relíquia de Carlo trazida pelo seu pároco, que pudesse parar de vomitar, o que aconteceu! Matheus foi curado da grave enfermidade no pâncreas em outubro de 2013.. Seus laudos médicos foram encaminhados para o Vaticano para a postulação da causa do jovem italiano. Tendo a Comissão Médica do Estado Papal reconhecido o milagre em novembro de 2019, o Vaticano pôde em seguida declarar Acutis beato, na esteira do processo de canonização que aqui demonstramos.

Matheus quis fotos em frente ao altar na sala. (Foto: Danielle Valentim)

Matheus, hoje por volta de seus 10 anos de idade, é um rapaz saudável graças à cura que atribui à Misericórdia Divina pela intercessão do servo Carlo Acutis.

Matheus segurando um retrato de Carlo Acutis. (Foto: Danielle Valentim)

 

4. SANTO

a) Já nesta fase, a primeira etapa é a aprovação de um segundo milagre.

b) Durante a segunda etapa a Congregação para a Causa dos Santos examina este segundo milagre apresentado. Requer-se que este segundo caso milagroso tenha sucedido em uma data posterior à Beatificação. Para examiná-lo a Congregação segue os mesmos passos do primeiro milagre.

c) Na terceira etapa o Santo Padre, com os antecedentes anteriores, aprova o Decreto de Canonização.

d) A quarta etapa é o Consistório Ordinário Público, convocado pelo Santo Padre, no qual informa a todos os Cardeais da Igreja e logo determina a data da Canonização.

e) A última etapa é a Cerimônia da Canonização. No ano de 2005, o Vaticano estabeleceu novas normas para cerimônias de beatificação. Em outubro de 2005, a Congregação para a Causa dos Santos deu a conhecer quatro disposições novas para as cerimônias de beatificação entre as quais, destaca sua celebração na diocese que tenha promovido a causa do novo Beato. As disposições são fruto do estudo das razões teológicas e das exigências pastorais sobre os ritos de beatificação e canonização aprovadas pelo Papa emérito Bento XVI. A primeira norma indica que enquanto o Papa presidirá os ritos de canonização, que atribui ao beato o culto por parte de toda a Igreja; os de beatificação – considerados sempre um ato pontifício – serão celebrados por um representante do Santo Padre, normalmente pelo Prefeito da Congregação para a Causa dos Santos. A segunda disposição estabelece que o rito de beatificação se celebrará na Diocese que promoveu a Causa do novo beato ou em outra localidade considerada idônea. Em terceiro lugar, se indica que por solicitude dos Bispos ou dos “autores” da causa, considerando o parecer da Secretaria de Estado, o mesmo rito de beatificação poderá ter lugar em Roma. Finalmente, de acordo com a quarta disposição, o mesmo rito se desenvolverá numa Celebração Eucarística, a menos que algumas razões litúrgicas especiais sugiram que tenha lugar durante a celebração da Palavra e da Liturgia das Horas.

 

Rezemos para que mais milagres atribuídos à intercessão do Beato Carlo Acutis sejam confirmados para que possamos, tão logo, anunciá-lo como santo, exemplo de discípulo de Cristo na terra enquanto Igreja Militante e colaborador das graças que não se esquece de seus irmãos militantes e padecentes enquanto Igreja Triunfante.

 

Fontes:

Irmã Maria Elisabeth da Trindade, OCD

https://www.correiobraziliense.com.br/brasil/2020/10/4879805-familia-de-campo-grande-celebra-beatificacao-de-carlo-acutis.html

https://www.campograndenews.com.br/lado-b/comportamento-23-08-2011-08/milagre-de-ms-aprovado-no-vaticano-matheus-hoje-tem-9-anos-e-muita-saude

https://www.midiamax.com.br/cotidiano/2020/mae-revela-historia-de-fe-e-milagre-em-campo-grande-que-vai-tornar-padroeiro-da-internet-beato

https://www.midiamax.com.br/cotidiano/2020/padre-de-campo-grande-trouxe-reliquia-que-curou-crianca-e-ajudou-acutis-a-se-tornar-santo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *